quinta-feira, 17 de junho de 2010

Como o LOBO desmantelou o que disse antes...


O Amor é uma determinada quantidade de matéria imponderável, invisível, que se acumula em certos indivíduos quando encontram outros do sexo oposto, e que se vai esgotando durante o período da relação. Uma vez esgotada, já não pode fazer-se novo sentimento, não há um modo de regenerá-la. Um amor defunto não ressuscita. Quando ressuscita, é porque não era defunto.
Conforme digo aí à vossa esquerda..o amor éapenas uma mudança de velocidade no ritmo da fantasia..e que
a vida não é exactamente assim...mas também é assim...
Depende do angulo por onde a observamos...
Se me contradigo é porque nesse momento mudei de angulo...
Boa noite a todas.

10 comentários:

Lady disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tst oproprio disse...

um post filosófico
O Amor é uma determinada quantidade de matéria (aqui poderia ter sido convertida em energia, mas a matéria tá ok) imponderável, invisível, que se acumula em certos indivíduos quando encontram outros do sexo oposto,(Agora isto num período de casórios sem o oposto é matéria para discriminação d'opostos)

(agora passa-se à parte mais hermética se eu andar a passo sou amigo se correr tou apaixonado?)o amor éapenas uma mudança de velocidade no ritmo da fantasia..e que
a vida não é exactamente assim...mas também é assim...
Depende do angulo por onde a observamos...
Se me contradigo é porque nesse momento mudei de angulo...(esta tem muito bom ângulo)
Boa noite a todas.....logo tou aqui a mais qu'eu não sou desses

tst oproprio disse...

e as grandes verdades num se discutem
TENHO uma grande estima pelas pessoas que não conheço e por isso procuro não conhecer ninguém. Sinto­-me a contragosto com as pessoas conhecidas de há pouco, com as quais ainda não se formou aquele fundo de assuntos discutidos, de ideias exauridas, de questões su­peradas, que é a base da intimidade.
palavras de sabedoria de um lobo mau...ou de um mau lobo?

Comunista disse...

Pode parecer absurdo ou assustador, mas para muitos casais esta teoria de botequim se encaixa perfeitamente na realidade conjugal. E ao que consta, não significa falta de amor entre o casal, mas, sim, diminuição natural e inevitável do desejo sexual entre os parceiros. Isto pode indicar que a monogamia é uma condição forçada para a espécie humana.
Este assunto é longo e polêmico.
A monogamia é uma imposição cultural que tem objetivos sócio-econômicos.

Mirian Martin disse...

E afinal, a contradição faz parte do "ser" humano, assim como amor/desamor, ódio/indiferença, prazer/enfado.

Estrela disse...

Como bem disse um amigo querido...
Se essa é sua definição do amor,então, não pode ser amor! Para o verdadeiro amor não há definição.

Susaninha disse...

....
Por acaso concordo contigo..mas ao mesmo tempo é assustador:(

Meditando disse...

O amor termina quando já não há espaço para continuar a sonhar a dois.

Pode ainda existir desejo ou carinho mas se o sonho comum se desvanece então o amor também se dissipou. Há amores que terminam embora existam outros sentimentos que continuem a ligar as pessoas.

LeoaLoba disse...

Seu SARCASMO é bárbaro!!! Mas, sinceramente, espero que seja tudo brincadeira, senão terei de acreditar que é um AMADO/AMANTE frustrado...

Beijos e MUITO AMOR PRA TI!!!!

Tenho uma queda pelos Lobos e pela Filosofia, por isso vim cair aqui em seu COVIL...

Curiosa disse...

Lobo, querido, gosto de tua filosofia; gosto de tuas possibilidades de mudança de ângulo na visão das coisas ... Eu como geminiana, acabei por me identificar totalmente com teu modo de ver as coisas ...

beijos