sábado, 7 de novembro de 2009

O LOBO - ..e os amantes...


Aos dezoito anos pouco custa esquecer uma mulher: basta dar um passeio com outra. Mas quando se está no limiar da maturidade, a que mentirosamente chamam segunda juventude, o separar-se de uma amante é operação cruenta. Deu-nos demasiado de si e demasiado lhe comunicamos de nós mesmos para podermos readquirir inteira a nossa individualidade. A nossa voz tomou as inflexões da sua, os seus nervos sofreram a influência dos nossos; adoptou-se um mesmo vocabulário; deu-se na dela e na nossa carne uma recíproca polarização; os nossos dois corpos fundiram-se numa célula que, para quem nos julga, é um par, mas para nós mesmos é um núcleo indivisível. Não mais temos uma individualidade nossa: cada um dos nossos gestos está subordinado a ela; somos como uma pedra-íman inerte, que somente se anima quando é o fluido daquela mulher que a percorre o envolve. Todas as outras nos parecem seres assexuados, e se um dia, por um capricho de sensibilidade marginal, chegamos a possuí-las, conservam-se ainda estranhas, e convencem-nos mais uma vez de que estamos fatalmente encadeados à amante única, necessária, insubstitufvel.


20 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Querido Lobo
A isso chamo AMOR.
beijinhos

Emília disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
milhita disse...

Por convicção, a contradição do instinto animalesco que defende que as faces pouco importam.
Grata pelo sentimento humano e ainda selvagem de homem mais que lobo, contente por me rever.
Subscrevo cada palavra meu amigo Lobo.
Bom fim de semana...

Lebasiana disse...

sabes... vou-te contar um segredo: não é perciso chegar-se à segunda juventude para se sentir isso que descreves! Acredita mesmo que não! Tudo o resto se torna assexuado!

Jinhos

clarinha florida disse...

Existem pessoas que são estrelas. Doces, luzes que enfeitam e iluminam as noites escuras das nossas vidas. Mas vem o amanhecer e nos rouba com toda a sua claridade aquela estrela tão linda…

Meditando disse...

O AMOR NÃO TERMINA NUNCA… … PODE ESMORECER POR ALGUM TEMPO,MAS SE É REALMENTE AMOR,PERDURARÁ PARA TODO SEMPRE,NEM QUE DE FORMA ESBATIDA.

BOM DOMINGO

Justine disse...

Pois é, esse nó nas tripas, esse respirar em uníssono, essas ondas a chegaram à praia ao mesmo tempo. Ah l'amour, l'amour. E o teu texto, sensível sem deixar de ser lúcido, retrata muito bem l'amour!!
(quanto aos abandonos, um lobo nunca está só, anda sempre em alcateia - portanto nada de lamentos:))

Lebasiana disse...

bom dia!

"medianamente inteligente"????????... também tens muita piada! ;)

considero-te EXTREMAMENTE inteligente! é condição essencial para alguem comentar no meu blog! estou a brncar, em uma das duas frases anteriores anteriores [tenta descobrir em qual]!

jinhos (eu não sou apologista de palavrões, sobretudo nas mulheres, porque considero que nos tira a feminilidade, mas... naquela altura, foi o que PENSEI, não DISSE! lol... Eu é que sou, minimamente, inteligente... agora compara-nos!)

continuando assim... disse...

08 Novembro, 2009 14:37
continuando assim... disse...

07 Novembro, 2009 01:36
O LOBO de....POTT disse...

A minha preferida é:"és uma tolinha meu amor"mas gosto de ti assim.....

Beijo


(terá sido este? que comentaste no post do senhor que está a cantar uma música francesa.... )

:) :)

continuando assim... disse...

muito bem.... assim já se fala de amor :)


gostei de te ler

beijo
teresa

Mary disse...

Há amores que guardamos por toda a vida.
Por vezes estão escondidos no fundo da nossa alma.

Josejina disse...

Ai os amores perdidos na névoa do tempo...
Quem mos dera de volta.

Um beijo saudoso

EsteOlhar disse...

Tenho os meus amores guardados no peito com carinho e respeito como as flores de um jardim.
Umas, de beleza sublime embora com pouco perfume.

Um bom Domingo

Tesourinha disse...

Hoje amanheci poetisa derramando em versos o amor guardado no peito e com lágrimas salgando a rima.
No rosto tinha uma estrofe de saudade...
Amor que o vento levou.

AnaMar (pseudónimo) disse...

Porque não há um só amor. E nenhum(a) amante é insubstituível, porque também nunca se substitui. Cada um é único! Para sempre. E quando o amor criou raízes, mesmo que separados, nem apetece ter outro (a)mar.

Besos, Monsieur Lupin (Arsène?)

O LOBO de....POTT disse...

Claro.....

Graça Pereira disse...

Perdi o teu caminho...ou roubaram-me, o que acho natural. Ás vezes, os lobos apagam as pegadas que deixaram, lá terão as suas razões. Eu penso que é um gesto de defesa, o que também acho natural.
Ah, o amor, o amor!! O amor verdadeiro, não morre nunca. O resto, são caricaturas de momento...
Desejo-te uma semana muito feliz, cheia de amor, que é coisa tão bonita...
Um beijo
Graça

continuando assim... disse...

Lobo lá no continuando assim tens um desafio que não sei se tens paciência para aquilo o que eu percebo perfeitamente pois eu quase que não tive mas vá lá foi a Luz que me mandou e eu gosto de a ler :)
beijo
teresa

continuando assim... disse...

tens que postar no blog hehehe
copias o selo e guardas a foto do dselo para depois adicionares no post depois copias aquilo tudo e respondes às pergunta ... eu já... eu nunca... etc etc por aí fora!
de pois escolhes 5 blogues para desafiares e colocas lá tembém

não é difícil Lobo ...nada mesmo

se não conseguires olha .... não ponhas lá nada e respone só às perguntas ..mas tu és capaz meu querido ..que eu sei que és :)

beijo
sempre ao dispor para qualquer esclarecimento adicional
atentamente
teresa

Teresa Lobato disse...

Amante é aquela que se ama. Haja ou não papéis, haja ou não alianças. Mas o povo perverteu o significado da palavra e prefere conotá-la com "proibida". Por isso tanta vez o apelo de ter um(a) amante.
Cada um único. Cada um inesquecível. Enquanto dure. E sim, fica sempre um perfume no ar...

Beijo