segunda-feira, 19 de outubro de 2009

O LOBO e as Vagabundagens....


Adoro os ingénuos.E procuro-os nas minhas vagabundagens;mas encontro poucos;as criaturas excepcionais tornaram-se tão comuns, que encontrar uma mulher comum é caso rarissimo ;todas tomam ares complicados,de cépticas.Os cépticos divertem-me por um momento;mas,depois do primeiro paradoxo não os tolero mais: o cepticismo parece-me ingenuidade mascarada, parece-me o alibi da ignorancia, e dá-me tanta pena como a miséria de casaca.Gosto dos ingénuos, dos primitivos,dos simples,que leem
presságios nas bolinhas do café,decifram o destino nas linhas da mão e ouvem o mugido dos oceanos no concavo de um búzio.Não posso suportar certas damas que ,ouvindo-as,julgamos que têm almas espirálicas ,psiques labirinticas, a tragédia de serem incompreendidas.E,no fundo,são umas pulhas.
Simpatizo por instinto com as minorias,com os fracos,com os que têm culpas,são tantas as pessoas que têm razão.

12 comentários:

Graça Pereira disse...

Também gosto dos ingénuos.... mas ainda há homens assim??? Ou vestem todos a pele do lobo e...são lobos mesmo?? Prefiro estes do que aqueles que o sendo, se apresentam com pele de cordeiro... Gosto também dos simples e que não sabem que o são. Gosto dos verdadeiros, ainda que ás vezes, nos magoem... Gosto do que é transparente, fácil de decifrar...Detesto vaidade e os pseudo-intelectuais a cheirar a bafio... Também não gosto dos pulhas e há muitos por aí..
Desejo-te Lobo, uma semana só a "farejar" coisas boas...
Um beijo
Graça

Mary disse...

As vezes dá-me uma saudade de um tempo que nem vivi, sim, um tempo onde as pessoas eram mais ingênuas, menos interesseiras. Não sei ao certo se este tempo realmente existiu, ou se é parte apenas da minha imaginação infantil. Resquícios de um tempo não vivido.

Um beijo

AGuardiaDoCastelo disse...

Tento encontrar familiridade na banca dos jornais, no restaurante do bairro, na roulote de estrada, nos amigos, no MSN. Sabes de uma coisa, adoro as coisas mais simples da vida, e adoraria ser ingênuo de novo, um dia...

Justine disse...

Falas de ingenuidade(que tantas vezes está ligada a ignorância) ou falas de sinceridade, transparência, honestidade? Essas sim, as pessoas - homens e mulheres - sinceros, cristalinos, honestos, são os únicos que me merecem respeito.
(E lá me saiu uma resposta séria, quando queria era brincar com a tua filosofia...:))

Emília Maria disse...

Meu amigo,
A ingenuidade surge através da interpretação que se faz da realidade. Pessoas ingênuas são aquelas que vêem o mundo sem maldade ,mas no fundo reagem a este mundo com segurança e confiança em si. Gente boba, é outra coisa! Acredito ser possivel ser ingênuo , sincero, honesto e inteligente , ao mesmo tempo. Lembra de Forrest Gamp ?
Saudades...beijos

clarinha florida disse...

Hoje em dia (como sempre) todos estão demasiadamente preocupados consigo mesmos, em desempenhar um papel de destaque, em serem admirados seja pelos amigos ou pela comunidade (o desejo existe e é real).
Todos fazem parte de uma grande maioria e pensam que são unicos.

Tesourinha disse...

Sabes Lobo,o mundo ficou tão grande para mim, tão grande, que me engoliu... Então ainda tento viver isso, e crio meu mundinho, minha vidinha, que aliás adoro.

Beijinhos

continuando assim... disse...

os ingénuos são puros, os cépticos são de desconfiar...

gostei !

beijo
teresa

A Senhora disse...

Dos muitos céticos a gente desconfia... ;)

bjs

Teresa disse...

Não é novidade para ti nem para quem me conhece que sou céptica. Não é estranho para quem tem estado comigo ultimamente que é algo de que não me orgulho e que tenho tentado mudar . Tentar achar lógica para tudo com a convicção de que tudo a tem não é, muitas vezes, um exercício mental saudável, é até, muitas vezes, angustiante.

Estou contigo
Um beijo

CHATO disse...

Como sou céptico mas não cínico, o mundo é algo a destruir com urgência. Façam o favor.

Catarina A Grande disse...

Livres dos radicalismo dos seus antecessores clássicos, os cépticos atuais ainda estão sujeitos a pelo menos uma armadilha na qual muitos caem sem perceber: Aceitação racional da dúvida não deve significar conformismo diante da dúvida.
Um beijo.
Caty