terça-feira, 19 de outubro de 2010

a Fé...e o Lobo


Hoje, estendido num divã, ao fim da tarde olhava as nuvens cor­rerem sobre o Rio que corre lá ao fundo. E pensava:

-Tenho-me sentido jovem até há poucos meses. Agora estou acabado. Parece-me que é tarde para tudo. Quando leio, não termino o parágrafo e começo o parágrafo seguinte. Cada livro em que pego já não me interessa antes de o ler ou sinto que deve­ria tê-lo lido antes. Diante de cada problema so­cial, político, económico, sinto que já é tarde, não para me aprofundar mas para aproximar-me. Sinto que a minha vida falhou inteiramente. Passei de relance por tudo: ciência, fé, amor, sem nunca mergulhar. Também em matéria de fé, fiquei na periferia. Recuei diante das primeiras contradi­ções, dos primeiros absurdos, do que me parecia preconceito e paganismo ...

Um jovem padre disse-me um dia que só há um modo de crer em Deus.

- Qual? Perguntei..

- Crer.

O meu modo de crer talvez seja errado, mas tenho um modo meu de crer. No museu de Luxem­burgo há um quadro de Burnand: representa os Apóstolos Pedro e João, que na manhã de Páscoa vão ao túmulo do Senhor. João é um rapaz que se parece comigo quando jovem: cabelos atirados para trás, olhar atento, quase febril; as mãos juntas, não em posi­ção de prece, mas como para comprimir a própria ânsia; Pedro tem o rosto queimado pela beira-mar; é um tipo maduro de homem do povo: a fronte esculpida de rugas, olhos de míope, que procuram; os dois caminham contra o vento e, se bem que não se veja senão a parte alta do corpo, há todo o movimento da impaciência, e da inquietude ...

Pois bem, esse quadro fala-me bem mais do que qualquer sermão, mais que qualquer prova da autenticidade dos actos dos Apóstolos. Quando te­nho incertezas ,e posso, vou ver esse quadro. Creio assim, mas sinto que estou em atraso. Nestes últimos tem­pos sabia passar as minhas ideias, mas secretamente, no fundo, iludia-me nas minhas verdades. Tive, pois, de reconhecer que, na realidade, falei mentiras.

A minha vida não teve um acto de amor ini­cial, e eu procurei o amor toda a vida. Se amanhã, porque afinal preciso de viver, recomeçar o meu “comércio” de palavras de amor...não será de estranhar.

Toda a minha vida foi assina­lada por um erro inicial: a falta de um acto de amor; o meu sonho era ter um filho meu, inteira­mente meu, para o educar não de acordo com a minha conduta, mas de acordo com a que deve ser a conduta de um verdadeiro homem: um me­nino ao qual ensinaria as primeiras orações, as primeiras palavras, a composição das primeiras fra­ses; de quem tiraria o canivete da mão ...

Para mim não existe sentido inverso.

Será que ainda sei as orações que teria ensinado ao meu filho?

É possível, e natural, que amanhã esteja melhor.

Boa noite a todos…

6 comentários:

Estrela disse...

Nós nunca estamos convictos de nada. Todos temos momentos nos quais a fé é posta em dúvidas e, depois disso,ela renasce mais forte em nós.Procure bem no fundo do seu coração.É lá que se encontra a oração mais linda e agradável a Deus.
Quanto aos sonhos,sempre será hora de realizá-los.Realize seu sonho e realize-se.A vida é uma bela surpresa... apesar dos pesares,o bom da vida está em vivê-la.
Beijão!

*lua* disse...

Olá Lobo,

Nossa ... tenho que pegar fôlego ... Tuas inquietações endossaram selvagemente as minhas!

Pude ver-te como um grande espelho. Aqui temos tanto o que fazer, porém, de tanto ter que fazermos, ficamos perdidos. Pois esta couraça, chamada corpo, nos impede a todo momento de nos libertarmos da prisão de nossa inferioridade. Os nossos sonhos e ilusões angariados pelos desejos carnais, nos distanciam do equilíbrio primordial da alma. Mas, então como entender que precisamos alimentar esta alma agonizante? Que fé é essa que temos que buscar nesse abismo que vivemos? Que fé é essa quando vemos a fome, sangue e mentiras? Eu procuro buscá-la dentro de mim, pois sei que existe algo responsável por mim e por tudo aqui. Então, olho para mim, e vejo que sou a porção significativa menor do todo, com todas as imperfeições possíveis, mas ainda sim, é mais fácil mudar-me, pois o mundo ... esse não depende de mim ... porém, algumas pessoas podem depender de uma ajuda minha, e é aí que minha mudança poderá valer a pena. E quanto ao filho, entendo tua preocupação e teu desejo perfeitamente. Há de apresentar-se a ti, alguém que acenda essa esperança e desejo mais profundo e assim, dê oportunidade para mais um de nós, vir até a aqui, pois aqui é o único caminho a se chegar em algum lugar. E o teu desejo de amor em recebê-lo não será maior do que a vontade há tempos do seu anjo vir te ver!

Desculpa ter me estendido, é que quando coisas me tocam, a minha reação é sempre abraçá-las!

Beijo

Estrela disse...

Olá,LOBO.Que saudade!
Seus posts fazem muita falta.
Amo chegar aqui e opinar. Espero que voltes a escrever em breve.
Beijão, Maristela.

JonDays disse...

Lobo! Vim cair no seu blog meio por acaso... mas fiquei pasmado com a semelhança de seus pensamentos, como se seus anseios fossem também os meus!!! De onde é você? Que idd tem? Por favor responda aqui ou para meu mail. Tb tenho um blog, só que é raro escrever lá.... Gostei muito do seu! Parabéns! Já está nos Favoritos!

Maria Ribeiro disse...

SER céptico, é próprio do homem!
sempre "desconfiei" da Fé...mas hoje, acho que o crer faz bem ao meu ego!E sinto-me melhor...mais predisposta a amar tudo o que me rodeia...
BEIJINHO, LOBO!
Mª ELISA

Campista selvagem disse...

A fé...
De que fé falamos, da fé dos homens ou da fé dos deuses...
Tambem eu nasci envolvido nessa fé nessa esperança, no entanto com o pasar do tempo ela foi escorrendo por ente dedos fechados, desapareceu aos poucos, foi consumida por actos humanos de homens que se disem de fé
tambem eu quero acreditar, mas a cada dia noto que os deuses são demasiado crueis, demasiado vingativos,demasiadoc omplacentes perante os actos de ans em relação aos actos muito iguais de outros.
não compreendo estes deuses ou são tendensiosos ou já estão na idade de se reformarem.
(como tambem eu sou meio selvagem, meio "lobo" cheguei a este espaço por essa tendencia e dei conta de refleções diferentes por esse motivo vou continuar atento ´´´´as novidades ok)