segunda-feira, 12 de março de 2012

A CULPA.......lamentos de um Lobo

A Culpa .....por não ter tido a coragem de contigo ficar
.

Porque queria falar mas não sabia o que dizer...
Porque queria cantar mas as palavras não saiam...
Porque me lembrei da beleza da Natureza...
Porque me lembrei de ti...

As palavras que,provavelmente, nunca te hei-de dizer, de todos os momentos que nunca tivemos, nesta lembrança que persiste, corre todas as cidades que nos separam e as rotinas que não tivemos.
Em silêncio profundo sufocam-me na distância desmedida que tivemos entre nós. Então faço esta carta, libertando-me desta aflição, escorraçando de mim tudo o que não te hei-de dizer. Hoje  escrevo-te mesmo sabendo que nunca irás ler estas palavras.
Nunca te disse tanta coisa, que fica difícil saber por onde começar. O meu “amo-te, preciso de ti” foram tantas vezes pronunciados ao vento que caíram na banalidade afundados no abismo que existiu entre nós. O teu provavel “amo-te” vinha sempre acompanhado pela tua ausência. Mas eu quis acreditar, eu acreditei em tudo aquilo que durante esta longa ausência  imaginei que me poderias querer a dizer.
De todo o tempo que não te pude ter a meu  lado,  chorei, mas perdoei-me. Em todas as vezes em que a tua ausencia me marcava, eu sofria e chorava, mas perdoei-me. Em todas as horas longas de solidão, afastado de ti, eu chorei de amor e de saudade, mas aceitei a ausencia e perdoei-me. Em todos os sonhos inventados em palavras que dissemos e não realizamos,  eu enchi-me de dor e calei em mim tantas palavras, simplesmente porque me perdoei e acreditei que nada tinha morrido.

Mas as cidades que nos separam, criaram uma profundeza tão grande que as palavras, já gastas, não querem dizer nada. Dentro de ti já não há nada que me peça água e o passado torna-se inútil como um trapo. As pensamentos tornam-se ineficazes de tão usados que estão. Eu calo-me e sofro. Porque te amava com todas as minhas forças, e sem ti o meu amor não se acalmava.
Nunca irei dizer que te esqueci, direi antes que lamento não ter tido coragem antes, para me perdoar a mim mesmo no meio de tanta dor e tanta ausência.
São tantas, mas tantas as palavras que nunca te disse… porque,por minha culpa, o meu mais profundo sentimento também não pudeste escutar.

Amei-te e amo-te. Mas hoje, já dorido desta tão triste dor e distância ,atiro com estas palavras  e peço ao vento que as leve para longe de mim.
Eu fui a sombra de um amor inventado por nós, mas perdoei-me e sobrevivi... porque as palavras atiro-as para longe, mas o amor fica em mim...

Desculpem a lamechice,mas hoje estou assim...

4 comentários:

Campista selvagem disse...

Desabafos...
Sempre acreditei que um homem também chora, sempre vi uma segunda oportunidade na alma de cada um.

Estrela disse...

Feliz da mulher à qual se dirige esta carta. Ai, ai...
Me fizeste chorar (emoção).
Sabe Lobo, também já escrevi uma carta de amor.
Bjs!

Anónimo disse...

Relendo alguns comentários em meu blog, encontrei vários de um amigo que fez questão de seguir a vida me ignorando
,mas "a vida segue sempre em frente,o que se há de fazer?

"As pessoas da nossa vida... amigos,amantes ou simplesmente pessoas de quem gostamos num qualquer momento ou lugar..
Pedimos ao tempo que lhes leve a nossa lembrança, uma mensagem que as façam de algum modo lembrar-se de nós, como se pudessse haver esse link apesar da distância que agora nos separa, pelos belos momentos mágicos vividos...
A dor, o sofrer por perder-se uma amizade querida por motivos fúteis, tolos, que nem ao menos podemos definir é imensa.
Pessoas especiais nunca deveriam separar-se, amigos são raros, quando são verdadeiros são queridos, fazem falta.

Um beijo pra Vc...
POTT

21/09/2009 21:59:00

AnaMar (pseudónimo) disse...

Bom saber de amor...essa capacidade que o ser humano tem e não deve perder
Bjº